Art Curator Grid – plataforma digital

Art Curator Grid – plataforma digital

Conheci o Art Curator Grid através de um contacto estabelecido na Digital Summit do Museum Next em Fevereiro passado. Devo dizer que desde logo achei uma ideia bem interessante que poderia ser útil para um conjunto de processos colaborativos entre museus, artistas e curadores e possibilitar a novos curadores experienciar a produção de uma “exposição” digital que tem, como é óbvio, processos e forma distinta de produção e consumo pelas audiências culturais.

O Art Curator Grid é, conforme os seus criadores, “a primeira plataforma digital que liga uma comunidade global interactiva de curadores, artistas e instituições para compartilhar, conectar e descobrir Arte Contemporânea. A crescente comunidade do Art Curator Grid trabalha em conjunto para criar exposições e projetos através de conteúdos envolventes, software intuitivo e providenciando acesso a públicos globais.” (tradução minha). Eu diria que é um facilitador. Algo que nasce do conhecimento da sua criadora, Pauline Foessel, ela própria curadora, com experiência na gestão de instituições de arte e no panorama da arte contemporânea internacional e da identificação de uma necessidade que parece ser agravada pela pandemia e consequente abrandamento da realização de exposições físicas.

A plataforma em si é muito interessante e intuitiva. Pode ser utilizada de diversas formas e com recurso a diferentes formatos multimédia (texto, som, imagem, vídeo, etc.) e dá liberdade para a criação de um “percurso” a propor ao visitante como mediação entre ele e as obras expostas. Estou certo que poderá ser melhorada e incluirá cada vez mais recursos para os curadores utilizarem no processo de curadoria e publicação das exposições, no entanto, permite já a criação de exposições muito interessantes como a que minha amiga Marilucia Bottallo e Carlos Nunes produziram sobre a obra de Sérgio Camargo.

mis piedras — Sergio Camargo

De tudo o que consegui explorar fiquei apenas com uma questão que me parece ser urgente tratar, a ligação, através de API’s por exemplo, aos sistemas de gestão de coleções ou repositórios dos museus disponíveis online para potenciar a utilização dessa vastíssima fonte de conhecimento que está disponível online.

Aconselho vivamente que consultem ou utilizem, se forem curadores, esta plataforma de colaboração. Tem pernas para andar e espero que tenha muito sucesso!