9º Encontro da Sistemas do Futuro – São Paulo

9º Encontro da Sistemas do Futuro – São Paulo

Este ano a Sistemas do Futuro irá organizar o encontro de utilizadores em São Paulo, Brasil, nos próximos dias 19 e 20 de Maio, com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Este evento, que já vai na sua nova edição, pretende promover e divulgar projectos em que a empresa colabora, contribuindo assim para a partilha de experiências e para potenciar possíveis colaborações e parcerias entre instituições e investigadores na área dos museus e património cultural.

No site do projecto a Sistemas do Futuro descreve assim o evento:

Estes encontros são organizados pela Sistemas do Futuro sempre em parceria com uma entidade que acolhe os participantes e tem permitido a realização em diferentes locais de Portugal e Espanha. Este ano o parceiro da organização do evento é a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, permitindo pela primeira vez a realização do evento no Brasil.

Em 2016, os temas do encontro são: Plataformas de gestão, integração e divulgação do patrimônio; Patrimônio imaterial, oral e da escrita; Terminologia e vocabulários controlados. Cada tema incluirá várias comunicações seguidas de debate e o encontro encerra com uma mesa redonda dedicada à documentação do patrimônio cultural e o sistema atual de ensino superior.

É um encontro que conta normalmente com a participação de vários museus e investigadores na área da documentação e divulgação do património cultural e, tal como aconteceu nas anteriores edições, terá este ano um programa dedicado aos temas acima mencionados e onde serão apresentados diversos projectos nos quais a Sistemas do Futuro tem uma participação activa.

8º Encontro Sistemas do Futuro

8º Encontro Sistemas do Futuro

As inscrições no Encontro são gratuitas, mas estão condicionadas aos lugares disponíveis no auditório da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo onde se irá realizar o evento.

Imagino que muitos dos meus amigos que costumam ir a estes encontros não possam comparecer neste, mas caso possam teria muito gosto em os rever a todos por lá.

Para mais informações:

Secretariado

Juliana Alves
juliana@sistemasfuturo.com

Localização do evento

Auditório – Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo
Rua Mauá 51, 1º andar
São Paulo – Brasil

New Professions for New Experiences of Culture

New Professions for New Experiences of Culture

Mudar, ainda que ironicamente, é das coisas mais constantes que a vida nos oferece. É assim desde o início da humanidade e fruto dos desafios que nos são colocados ao longo da nossa evolução. A grande diferença entre as mudanças que o Homem teve de enfrentar no passado e as que tem de enfrentar actualmente prende-se, na minha opinião, com a velocidade com que somos confrontados com ela.

Ainda que não seja perceptível, sem uma breve reflexão pelo menos, literalmente todos os dias somos confrontados com novas tecnologias que implicam mudar radicalmente a forma como actuamos. Há uns anos atrás, não muitos, ter um computador com a capacidade dos telemóveis actuais era algo que nos parecia ficção científica. Nessa mesma altura imaginar a existência de uma plataforma social digital como as que existem actualmente seria, no mínimo, arrojado. No entanto, hoje temos relógios com capacidade para tirar fotografias, óculos que nos dão informações sobre tudo o que pretendemos saber e, ainda por cima de forma contextual, chips que são implantados no nosso corpo e que nos habilitam a comandar máquinas, enfim uma enorme quantidade de avanços tecnológicos que implicam novas formas de interacção com o mundo.

A Cultura, porque é o nosso reflexo, o reflexo da sociedade em que vivemos é um dos sectores onde as mudanças poderão ter um papel determinante no futuro, mas como devem os profissionais do sector, nomeadamente os dos museus, se preparar para a mudança? Que novas profissões, ou perfis de profissionais, serão criados com o desenvolvimento tecnológico? A Mapa das Ideias, parceira portuguesa do projecto eCult Skills, pretende reflectir sobre este importante tema através do workshop New Professions for New Experiences of Culture que se irá realizar no próximo dia 4, na Galeria Fábulas em Lisboa e no qual irei apresentar, com base na minha experiência, uma visão sobre este (denso) tópico. Que me dizem? Aparecem por lá?

Ecultskills

Aproveito este post (já andava para escrever sobre o assunto há algum tempo) para agradecer à Ana Fernambuco, à Inês Câmara e à Mapa das Ideias o convite para o conselho consultivo do projecto. É uma honra e um prazer colaborar com vocês.

Ciclo de Debates | Pensamentos sobre Arte Contemporânea | IN – Festival Internacional de Inovação e Criatividade | 14 a 17 de novembro | FIL – Parque das Nações

Ciclo de Debates | Pensamentos sobre Arte Contemporânea | IN – Festival Internacional de Inovação e Criatividade | 14 a 17 de novembro | FIL – Parque das Nações

AntiFrame | Art Consulting organiza o Ciclo de Debates – Pensamentos sobre Arte Contemporânea em parceria com IN – Festival Internacional de Inovação e Criatividade

Festival IN | FIL, Pavilhão 3, Parque das Nações

20131112-173152.jpg

COM OU SEM ESTADO? CULTURA SOB RESPIRAÇÃO ASSISTIDA

14 de Novembro | 21h

RUI MATOSO | Formador, consultor, gestor e programador cultural. Professor na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa. É mestre em práticas culturais para municípios (FCSH/UNL), onde desenvolveu investigação em políticas culturais, e pós-graduado em gestão cultural. Actualmente, investiga sobre arte política e mediações táticas no doutoramento em ciências da comunicação e da cultura.

ROGÉRIO SANTOS | Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Lecciona Comunicação na Universidade Católica Portuguesa, onde também pertence ao conselho editorial da revista Comunicação e Cultura. É vice-presidente do CIMJ (Centro de Investigação Media e Jornalismo) e pertence à coordenação do grupo de trabalho de jornalismo da SOPCOM (Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação). Entre os livros que publicou, destacam-se A Negociação entre Jornalistas e Fontes (Minerva, 1997), Os Novos Media e o Espaço Público (Gradiva, 1998), Jornalistas e Fontes de Informação (MinervaCoimbra, 2003) e As Vozes da Rádio, 1924-1939 (Editorial Caminho, 2005). É ainda co-autor de O Estudo do Jornalismo Português em Análises de Caso (Caminho, 2001) e Rumo ao Cibermundo? (Celta, 2000). Entre 2003 e 2005 foi director da revista Media XXI.

DORA SANTOS SILVA | Bolseira de Doutoramento em Digital Media ao abrigo do programa internacional UT Austin | Portugal CoLab. Dedica-se ao estudo das potencialidades do jornalismo cultural e do jornalismo narrativo na era digital. É licenciada em Ciências da Comunicação e Mestre em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias (FCSH-UNL). Lecciona Jornalismo Cultural na FCSH-UNL e Storytelling no Jornalismo, como conferencista convidada. Já colaborou, como jornalista, com diversas publicações nacionais e internacionais na área da cultura. É autora do livro “Cultura & Jornalismo Cultural – Tendências e Desafios no Contexto das Indústrias Culturais e Criativas”, editado pela Media XXI. É também investigadora do CIMJ – Centro de Investigação Media e Jornalismo e participa actualmente no projecto de investigação “Cultura na Primeira Página – Um Estudo dos Jornais Portugueses na Primeira Década do Século XX”. Além do jornalismo e da docência, o seu percurso incluiu também o guionismo documental e a gestão editorial de projectos culturais.

ARTE, TECNOLOGIA E INTERACÇÃO. PORTUGAL À MARGEM DA NOVA ERA DOS DESCOBRIMENTOS?

15 de Novembro | 21h

MIGUEL CARVALHAIS | Miguel Carvalhais é designer e músico. Professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, dedicando-se principalmente ao design de interação e media computacionais. Colabora com Pedro Tudela no projecto @c, desenvolvendo composições musicais e audiovisuais, música para teatro, performances e instalações sonoras. Em 2003 ajudou a fundar a editora Crónica, que dirige desde então.

JOSÉ CARLOS NEVES | Licenciado em Design de Comunicação e Mestre em Sistemas de Comunicação Multimédia, onde desenvolveu tese em torno da relação entre corpo, arte e tecnologia. Nos seus estudos actuais de doutoramento tem vindo a trabalhar os “processos de design na arte interactiva”. Autor de um extenso número de projectos de design, nos últimos anos dedicou-se intensamente ao ensino universitário. Coordena cadeiras de formação tecnológica na Escola de Comunicação, Artes e Tecnologias da Informação (ULHT) onde também lecciona nas áreas do design e artes digitais. O foco do seu trabalho de investigação artística está na relação dinâmica entre espectador e obra de arte. Tem desenvolvido trabalhos em co-autoria com João Trindade.

CATARINA PATRÍCIO | Artista Plástica, investigadora em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologia, Docente na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias [ULHT]. Licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa [FBA-UL: 1998-2003], tendo entretanto estudado fotografia e gravura na Fachhochschule Bielefeld ao abrigo do programa ERASMUS. Em 2008 concluiu o mestrado em Antropologia dos Movimentos Sociais na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa [FCSH-UNL], onde é atualmente doutoranda em Ciências da Comunicação.

MODERAÇÃO |

CLÁUDIA CAMACHO | Curadora. Doutoranda em História da Arte (Facultad de Bellas Artes, Universidad Complutense, Madrid) defenderá a sua tese de doutoramento, sob Menção Europeia, em 2014. Comissariou as exposições: High Speed Press Plate de José Luís Neto (CBA, Madrid); Se Busca Memoria Perdida de Kristoffer Ardeña (Centro 14, Alicante); Representação Portuguesa no DVD-Project (Fundação Telefónica, Peru); Contemplaciones (Festival Loop, Barcelona); For Nothing de Pedro Torres (Round The Corner, Lisboa). Coordenadora de actividades no PhotoEspaña|07. Curadora residente convidada pela Academy of Fine Arts and Design para o European Month of Photography/09, em Bratislava. Curadora portuguesa convidada para projecto Jugada a 3 Bandas, Camera Oscura, Madrid|12 e Arte Santander|12, com a exposição Histórias e Desejos de quem Dorme (Ana Rito, Cecilia de Val, Margarida Paiva e Johann Ryno de Wet). Curadora portuguesa convidada para o “Ideological Guide to the Venice Biennial 2013″, Itália. Organizou o Ciclo de Debates da ARTELISBOA 2011. Em Dezembro, assume a curadoria do espaço Embaixada – Palacete Ribeiro da Cunha, em Lisboa. Directora da AntiFrame – Art Consulting.

Certificação Internacional Herity

Certificação Internacional Herity

Chega-me do Museu de Arte Sacra e Etnologia a notícia da certificação Herity que aquela instituição e mais 25 bens culturais do Médio Tejo receberão amanhã, 1 de Novembro, no Convento de Cristo em Tomar. Assim que vi a mensagem lembrei-me da quantidade de vezes que apregouo a avaliação dos museus, por entidades credíveis e capazes cientificamente (tanto quanto pude ler esta é uma delas, confesso que a desconhecia… shame on me), nas mais diversas áreas. A certificação Herity avalia e analisa os bens culturais quando à sua relevância/valor, conservação, comunicação e serviços. Abaixo deixo o cartaz e programa do encontro de amanhã em Tomar para quem estiver interessado.

HerityCartaz

Programa

Feira PATRIMÓNIO.PT

Feira PATRIMÓNIO.PT

A Spira juntamente com alguns parceiros está a organizar uma feira de património que se irá realizar no Museu de Arte Popular, em Belém – Lisboa, a 18, 19 e 20 de Outubro deste ano que pretende ser um encontro de profissionais dos sectores da Cultura, Economia e Turismo tendo como objectivo possibilitar a criação de sinergias entre estas áreas que possam resultar em novos negócios numa área com um grande potencial de desenvolvimento.

Feira patrimonio.pt AP2013

Toda a informação sobre a feira e programação associada poderá ser consultada em http://patrimonio.pt/feira/

Acesso Cultura – Conferência 2013

Acesso Cultura – Conferência 2013

O GAM – Grupo para a Acessibilidade nos Museus depois de 10 anos de profícuo e muito interessante trabalho como um grupo de trabalho informal que tinha como objectivo melhorar o acesso aos museus a todo o público com diversas necessidades especiais passou agora a ser Acesso Cultura. Uma “associação formal, que irá abranger todo o sector cultural, pretende alargar o seu espectro de acção e de prestar os seus serviços a um leque mais alargado de instituições e profissionais.”

Uma das suas primeiras actividades é a organização de uma conferência, a 14 de Outubro, na Fundação Calouste Gulbenkian (Auditório 3), em Lisboa, sobre o mote: Cultura nas Redes: Redes sociais, novos acessos à oferta cultural. A apresentação da conferência no site da Acesso Cultura é:

As redes sociais têm vindo a alterar profundamente a forma como as instituições culturais se relacionam com os seus públicos. Esta nova realidade, em constante desenvolvimento (por vezes difícil mesmo de acompanhar) apresenta um vasto leque de oportunidades, mas também enormes desafios, considerando a falta de meios (humanos, financeiros ou tecnológicos) em muitas instituições. Nesta conferência procuraremos conhecer melhor as possibilidades que as redes sociais nos oferecem, ouviremos profissionais que, com mais ou menos meios, exploram estas ferramentas e teremos ainda a oportunidade de receber algumas dicas práticas de especialistas em redes sociais.

Preço de inscrição
Sócios: €15 / Não sócios: €25
(para os sócios institucionais, o desconto é extensível a 5 funcionários)

A ficha de inscrição, programa e informações sobre os oradores podem ser encontradas aqui.

2013_banner

A Maria Vlachou (grande dinamizadora deste trabalho) lançou-me o repto de ser um dos oradores da conferência (uma maldade tendo em consideração que irei anteceder o Marc Sands, da Tate Modern) através de uma reflexão sobre a utilização das redes sociais – PARTILHAR OU PARTILHAR? EIS A QUESTÃO. Um desafio ainda assim menor do que os Museus enfrentam neste novo mundo digital.

Espero ver-vos todos lá.